Publicado em Querido diário

fazer honrar teu choro

“No, no: no soy perfecta”…
E parte de mim é indignação por não saber lidar com quem se recuse a, no mínimo, assumir minha existência. Sendo mais honesta, tenho problemas em lidar com quem deixe claro não gostar de mim. Não sei lidar com desapontar ou desagradar os outros.

Não me creio nem quero cair na armadilha de me crer melhor do que ninguém, mas não tenho dureza o suficiente pra viver no mundo adulto. Peco por prezar pela inocência, ingenuidade, e ser o tipo de alma perdida que se sensibiliza e indigna com a intolerância gratuita alheia. Não seguro a pose, o revirar de olhos, o pseudo-tudo-bem por muito tempo. Em alguma instância um não olhar me atinge muy profundamente, e não posso calar como calam todos, e seguir fingindo-me invicta, como seguem e fingem todos.

Mas estou no mundo adulto, e um medo infantil é que, paradoxalmente, burla a ousadia nata dessa que deve ser minha “criança interior” – essa que sou eu por inteiro. Então jogo de acordo com as regras desse mundo insosso e adulto, em que a gente não diz o que pensa, não sente, não nada.

Não acredito em uma verdade una e absoluta, mas eis-me aqui não aceitando a perspectiva de vida que embasam os atos de outrem. Ah, egocentrismo! Sempre me flagro indignada, no fundo, porque os outros não veem o mundo sob o meu olhar míope.

Mea culpa: certa arrogância, pretensão, insegurança, infantilidade.

Por mais que meu ego esteja certo, e que seja mesmo desumano ignorar a existência de alguém, e por mais que eu não creia em verdades absolutas, há uma quase incontestável: não é possível, nas regras do jogo da vida adulta, mudar uma mentalidade. Talvez eu só possa rezar, com amor, que a vida se encarregue de ensiná-la (haverá pretensão nessa reza?).

Talvez o máximo que eu possa aproveitar disso é corrigir o que, independentemente desse causo, sei que há de latente em mim.

Haja Osho!

Anúncios

Autor:

Carioca, 22 invernos, leão com touro. Gosto de apreciar e busco produzir arte. Sou professora. Faço cadernos. Amo. Assim, intransitivo, mesmo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s