devorar, devorar, devorar

em

escrevo para não borrar a nitidez do que nenhuma câmera fotográfica registrou mas que minha mente jamais vai esquecer.

a fogueira crepitando ajudou a aliviar o frio enquanto cantávamos sambas e pontos de macumba e outras nostalgias no melhor samhain da minha vida. a maior lição sobre transitoriedade, sobre fantasmas, sobre perceber os julgamentos que ainda faço e como isso atravanca minhas ações. os balões e a cartinha me lembraram do que é raiz, de quem sempre esteve, sempre está e sempre estará comigo, independente do que aconteça. eu me sinto pronta para resgatar meu vínculo com ela. me sinto pronta pra resgatar meu vínculo comigo e sei que pode doer quando meu ego tentar resistir e se manifestar, se impor. eu me sinto abençoada, renovada constantemente pela presença dos deuses me aconselhando, me guiando, me salvando de cair nas mentiras do meu próprio ego.

EU ESTOU EM CASA. estou em casa onde quer que eu vá e a cada segundo que estou no seio de minha família.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s