Publicado em Sem categoria

me sinto uma alma penada. vagando, atormentada. parece que nenhum movimento é suficiente pra me tirar desse lugar mental que eu me enfiei. terá sido sozinha? terá sido com a ajuda de alguém?

aceitar a tristeza, aceitar… deixa-la passar, como à felicidade, que eu tento segurar nas mãos por saber que ela uma hora esmaece.

o lugar que eu estou nunca é bom. sempre estou errada. sempre era melhor antes. sempre era melhor não ter tomado uma decisão. ou ter tomado a outra. seguido pelo outro caminho. ter feito artes cênicas. não ter terminado. nunca ter namorado. não ter nascido. ter me matado. ter lido mais livros. outros. nunca os que eu li. não bastam. não basta o que eu conheço. não basta o que eu sou. não basta a perspectiva derrotista do que eu possa vir a ser. mais do mesmo. essa coisa ocre. densa, gosmenta, cinza. alma penada, mesmo.

 

Anúncios

Autor:

Carioca, 22 invernos, leão com touro. Gosto de apreciar e busco produzir arte. Sou professora. Faço cadernos. Amo. Assim, intransitivo, mesmo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s